Santa Casa de Passos corta vagas de leitos para UTI adulto e neonatal Destaque

  • Terça, Jan 10 2017
  • Escrito por 

Vagas para internação na UTI neonatal foram reduzidas pela metade.
De acordo com diretoria do hospital, medida visa evitar crise financeira.

 

A Santa Casa de Misericórdia de Passos (MG) anunciou corte de vagas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto e reduziu pela metade o atendimento na UTI neonatal. Segundo a diretoria do hospital, que é uma entidade filantrópica e sem fins lucrativos, em média, cada vaga na UTI custa R$ 1,2 mil, mas o repasse do Governo de Minas é de apenas R$ 478 pela diária. Para evitar uma crise financeira, o hospital resolveu reduzir o número de leitos.
Na região, a unidade é referência no atendimento de importantes especialidades como oncologia, por exemplo. Os serviços prestado no local atendem a cerca de um milhão de moradores de mais de 30 cidades da região. Entretanto, dos 28 leitos de UTI adulto destinados ao atendimento pelo SUS, 10 foram desativados. Já na UTI neonatal, dos 20 leitos apenas 10 estão funcionando.

“A Santa Casa é um hospital polivalente. Ela é referência em dor torácica, poli trauma, AVC, materno-infantil e oncologia. Com essa redução, nós estamos priorizando as linhas de cuidado para evitar que a população deixe de ser atendida nessas áreas prioritárias”, disse o diretor administrativo da instituição, José Ronaldo Alves.

Mesmo contando com estrutura física para oferecer os atendimentos, os leitos seguem vazios e as cirurgias que já estavam agendadas foram adiadas. Com a redução dos serviços, pacientes correm o risco de ter que aguardar vaga de internação através do SUS Fácil, já que o Estado só reconhece parte do serviço prestado e paga apenas por 80% dele.

"20% é entendido como extra. É reconhecido, porém é pago quando possível e às vezes isso demora muito. Para se ter uma ideia, [os anos de] 2014, 2015 e 2016 tem um valor acumulado, só das UTI's de R$ 5 milhões, que o Estado reconheceu que deve, que foi utilizado o serviço, porém não tem prazo e nem previsão de pagamento. Outros R$ 1,075 milhão, que foi em serviços prestados ainda não foram reconhecidos como utilizados", explicou o diretor administrativo

Fatores que vêm gerando um déficit nas contas da instituição e que, segundo o provedor do hospital, a medida é temporária. “Nós estamos tentando uma negociação na melhoria das diárias para ver se ocorra uma adequação melhor na totalidade dos leitos, porque como já foi dito, a defasagem da diária é grande e isso gera um déficit muito grande”, explicou o provedor da Santa Casa, Vivaldo Soares Neto

Em nota, a Secretaria de Saúde de Minas Gerais informou que a Santa Casa de Passos recebeu do Fundo Estadual de Saúde cerca de R$ 4,8 milhões em 2015 e que o valor permaneceu o mesmo para o ano de 2016.

 

Avalie este item
(0 votos)
Publicado em Economia
Redação

Website.: www.alfenasnews.com.br E-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Entre para postar comentários

Publicidade